MAS HÁ ESPERANÇA OU NÃO?

imagesHá, ainda alguma esperança para quem discordou dos caminhos da austeridade cega que nos caiu em cima.

E a questão que se põe é a das alternativas que existem ou que têm de ser construídas face ao empobrecimento crescente para o qual temos sido empurrados.

E se o poder político de cada um dos países europeus, nomeadamente os que têm sido sujeitos às políticas de austeridade face aos défices e à dívida, não se empenhar, em termos europeus, nesses caminhos alternativos, então o empobrecimento será definitivo e sem fim *a vista.

Isto é, a nossa integração europeia para ajudar a sedimentar o crescimento económico dos países desenvolvidos e, consequentemente, o seu domínio sobre os países da periferia.

Questionando já, face a uma crescente globalização, o próprio apagamento da Europa.

Voltando à questão inicial: afinal ainda haverá alguma esperança?

Há que dizer que sim. E isto porque a coligação só teve uma maioria relativa.

Donde que a aprovação das principais leis vai carecer sempre da aprovação do principal partido da oposição.

É assim que o principal partido da oposição terá todo o espaço para afirmar as medidas que dêem conteúdo às políticas sociais alternativas aos cortes nos salários e nas pensões e que aprofundem um Estado Social com mais emprego.

Mas terá de o fazer em termos claros e simples de modo tal que todos os Portugueses o percebam, construindo a alternativa que agora lhe fugiu … de tal modo que não lhe saia o tiro pela culatra!

Lisboa,07 de outubro de 2015

Bettencourt Picanço

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s